Sobre Mim

Olá! Tudo bem?

Bom já te adianto que minha história não é cheia de aventuras, viagens e gols de bicicleta.
Mas você vai se identificar muito, pois todos nós vivemos de altos e baixos.

Sendo pequeno…

Nasci em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, no mesmo ano da queda do Muro de Berlim – 1989.
Tive uma infância ótima!
Nessa época já passa Cavaleiros do Zodíaco na antiga TV Manchete, e um monte de programas e desenhos inesquecíveis.

Fui criado por minha falecida avó e minha amada mãe.
Nunca tivemos uma vida daquelas confortáveis e cheia de regalias, mas também elas nunca me deixaram faltar nada.
As vezes tiravam da própria boca para me dar.

Me formei em escola particular mas isso é mérito de minha avó, que sempre fez por onde em pedir desconto ou conseguir bolsa.
E pra compensar, eu era o nerd da sala.
Aquele que passava cola para todo mundo em dia de prova.
Mas não vou negar que depois da oitava série, me tornei um bagunceiro. Não queria mais ser encarado como o gordinho que apenas sabia as repostas da lição de casa.

Uma parte chata de ser pobre em uma escola particular é que a maioria tinha o que eu não tinha.
Demorei a ter o primeiro computador, a ter internet que não fosse discada, a ter um tênis que não custasse R$ 30,00…
Mas os meus amigos de escola, em sua maioria, eram bonzinhos demais.
Inclusive fizeram campanha de arrecadação de dinheiro para o meu tratamento de quando tive uma anemia profunda.
Sempre quando tinha gincana e eu não tinha como pagar o valor da camiseta para participar, quem organizava me chamava de lado para falar:
– Má… A gente vai te dar a camiseta mas não fala pra ninguém, tá?

Crescendo…

Com uns 14 anos passamos por um momento mais delicado onde quase todas as noites eu acompanhava a minha avó para pegar latinhas na rua.
Além disso íamos a um restaurante de segunda à sábado – 14h ou 15h – para pegar a comida que nos doavam.
Levávamos umas 03 ou 04 marmitinhas que rendia a janta do dia e o almoço do outro.

Nem sempre eu a acompanhava pois muitas vezes sentia vergonha e nem um pouco de animação em fazer isso.
Bobo não? Mas coisas da idade.

Antes de finalizar o terceiro colegial encarei um curso de Gestão de Marketing certificado mas que valia apenas para quem já tinha 18 anos, e eu na época tinha 16.
Dei meus pulos e consegui fazer o curso e ainda receber o certificado. Haha!
Nem tinha percebido que minha paixão por Marketing já era algo que iria levar por um bom tempo a frente.

Com ensino médio completo aos 16 anos, já fui com sangue nos olhos pensando no que fazer para ajudar em casa.
Ao invés de me focar em Faculdade no momento, pensei em fazer um curso Técnico em Informática pois era pirado na área e queria também um estágio para, tanto para pagar o curso em si, como para contribuir em casa.

Minha avó me ajudou muito nisso.
Fomos buscar as vagas de estágio juntos em um projeto da cidade chamado Ribeirão Jovem.
Em pouco tempo eu já estava consertando computadores para algumas escolas da prefeitura e logo depois me tornei Monitor de Informática em uma delas.

Na escola eu ficava das 08 às 18h (sim, na época estágio era de 08 horas e não tinha carteira registrada) todos os dias da semana e estudava em uma escola técnica.
Convivi com um monte de crianças que me chamavam de tio ou pai. Hoje vejo eles crescidos e… Bom, você deve entender o sentimento.

Depois fui para uma empresa grande da área de infraestrutura da cidade.
Era um estágio e tanto! Me sobrava uma graninha no final do mês além do ticket  que eu dava com todo orgulho em casa para fazerem a despesa.

Encurtando a história, fui para outra empresa também voltada para informática, mas já estava cansado da área.

Comecei a fazer Ciências da Computação e fiz um financiamento junto ao FIES.
Em 03 meses desisti do curso e fiquei o ano todo pagando o financiamento.
Não era exatamente a faculdade que eu queria fazer. Tinham muitos cálculos e embora alguns falassem:
– Faz, dá muita grana depois de formado. Não era o que eu realmente queria.

Pedi transferência para outra disciplina.
Me deu a louca em fazer Publicidade e Propaganda. E eu fiz… Durante 02 dos 04 anos do curso. Mas não foi por não querer, mas outro motivo.

Em 25 de Maio de 2010 minha avó faleceu e me vi com minha mãe para encarar as contas de casa.
Resolvi trancar a faculdade de Publicidade mesmo minha mãe e as pessoas ao redor me falando para não fazer isso.
Mas ou eu finalizava a faculdade ou eu colocava comida em casa. E é claro que o segundo falou bem mais alto.

Nesse meio tempo continuei lendo, fazendo cursos menores e apareceu a oportunidade de eu me formar em Marketing.
O valor era ótimo pelo fato do curso ser EAD (Ensino à Distância).
E o mais engraçado… Me formei na escola onde estudei minha vida inteira, a Metodista.

Em todo esse período, de Publicidade e Propaganda, até a formação de Marketing, passei por ótimas empresas e agências de publicidade.

Aprendi o dia a dia árduo de quem faz Prospecção, a dificuldade em ser Atendimento em uma agência, como é chato ser um Assistente de Marketing que sabe mais que seu superior (risos) e por aí vai.

Se você olhar meu perfil no LinkedIn vai ver algumas das empresas que já passei e até mesmo já fui sócio.

Descoberta…

Passei por dois grandes marcos na minha vida, sem falar a perda de minha avó e um tio que eu tinha como se fosse um pai.

Um foi quando virei Consultor de Marketing e comecei a trabalhar em casa.
Abri meu MEI para me formalizar e comecei a atender empresas de pequeno porte.
Planejava desde campanhas pequenas, até análises de mercado e validações de ideia.
Fiz campanhas de Google Adwords, Facebook Ads, ajudei a estruturar Ecommerces, analisar dados, segmentações, criar estratégias de lançamentos… Um monte de coisa.

Mas ainda assim tinha algo que eu sentia que faltava. Um vazio.

Comecei a estudar mais sobre Eu mesmo. Queria saber mais sobre o meu Propósito.
E um belo dia eu achei uma palavra que resumia esse meu Propósito, “OBRIGADO”.

Eu amava ouvir obrigados de quando ajudava alguém ou as coisas davam certo pois tinha dedo me no meio.
E muitos desses “Obrigados” vinham de ajudas mesmo e não de consultorias. De quando eu sentava para conversar com alguém e dar um norte para sua vida ou empresa, por assim dizer.

Mas ainda assim… Faltava algo.

Passei por uma fase muito chata: a depressão.
As coisas que eu tinha de fazer entravam em filas imensas de tarefas que eu não conseguia realizar.
Deixei um monte de projetos parados, ideias e sonhos de lado.
Me sentia um ninguém, um farsante… Passei por um momento de muito descrédito em mim mesmo.
Não conseguia sair da cama algumas vezes. Ficava lá, mofando e achando a minha vida ruim.

Reconheci que estava com depressão e fui atrás.
Ao invés de marcar um psicólogo (coisa de besta, na época), marquei um neurologista. Já queria sair de lá com o remédio receitado.
E não é o que o danado fez efeito?!
Me sentia 110%!!! Fazia tudo com foco e me sentia o cara. Cheio de energia, certeza e entusiasmo.
Mas esse não era eu… Esse era o efeito do remédio.
Juntando uma coisa com outra, comecei a refletir no que eu poderia fazer para sair dessa.

Consequentemente, ao mesmo tempo, conheci uma Coach maravilhosa que me ajudou muito com minha produtividade em apenas 02 sessões.
Apenas vamos lembrar que Coaching não é terapia, ok?

Li muito sobre a depressão… Muito.
Tomei sol em variados momentos, corria de manhã as vezes, fazia academia em horários alternados, testava alimentos, colocava horários para o celular despertar e me lembrar de tomar água e respirar fundo… Fiz de tudo para me auto-conhecer, e deu certo!

Agora eu sabia o que me ajudava a ter constância, o que me enchia de energia para encarar o dia a dia, mas ainda… Ainda tinha um pequeno vazio.

Eu sabia exatamente como me animar, como me colocar em um estado de flow mas ainda tinha um vazio.

O outro grande marco aconteceu no meio de 2015, quando um pouco depois do meu aniversário – nasci em 27 de Junho – comecei a refletir profundamente.

“O que eu faria de graça mesmo se tivesse muito dinheiro?
O que eu faria com tanta paixão por horas e horas sem dormir se precisasse?
Qual a razão por trás do Obrigado que eu queria realmente ser alvo?”

Então eu descobri a mim mesmo.
Relembrei minhas conversas com amigos, familiares e clientes.
Revi as mensagens no Facebook e comecei também a perceber o porquê de algumas pessoas me procurarem.

E descobri.

Eu já era um Mentor, um orientador para outras pessoas.
Eu já fazia boa parte de um processo de Coaching para outras pessoas.
E o melhor. O que eu já fazia gerava resultados nelas.

Eu já era o que eu precisava ser, apenas não sabia!

Eu caí em mim mesmo.
Era por isso que eu estudava e lia tanto sobre o comportamento humano.
Quem me conhece, sabe como sou apaixonado por esse tema e por livros.
Eu sempre queria entender as pessoas, lia biografias, buscava razões para alguns atos, estudava sobre psicologia, biologia, comportamento humano, persuasão, PNL… Era isso e sempre foi. PESSOAS.

Coaching e Mentoring não é algo baseado em certificados. Eles te ajudam a entrar em alguns lugares, conseguir alguns contratos, mas ou você tem esse dom ou não tem.

De nada adianta aprender um conjunto de ferramentas e não ter escuta ativa, buscar compreender o outro e realmente se comprometer em ajudar.
Ou você é apaixonado por pessoas e faz elas serem melhores, ou não é.
Não se aprende isso em um curso, não se aprende isso em um livro. Isso se desenvolve na vida!
E não, eu não tenho um certificado exposto na minha parede onde fala que sou formado em Coaching ou Master alguma coisa em PNL, ou o “senhor do desenvolvimento pessoal”. Tudo o que aprendi foi buscando outras fontes, cursos online, livros, palestras, falando com outros Coachs e Mentores e muito mais.

E hoje… HOJE EU SOU MUITO MAIS REALIZADO! Eu sei exatamente o que eu quero fazer!
Estou disposto a fazer de tudo para que as pessoas se desenvolvam, olhem para si mesmas e descubram seus valores, suas fraquezas, suas competências, estabeleçam metas, vivam seus sonhos legítimos, e conheçam seus verdadeiros propósitos.

Estou disposto também a mentorar e orientar, tanto nos negócios como no desenvolver da vida pessoal.
A dedicar meu tempo a falar o que precisa ser feito, quando, como, por que e pra quem.

Finalmente.

Eu te juro que tentei resumir bastante a minha história, mas tem coisas que não poderia deixar passar.

É muito se tornar uma pessoa que FAZ as coisas acontecerem.
Ter saído da depressão, emagrecido 16kg, ganhado meu primeiro torneio de Crossfit, desenvolvido a mentalidade para trabalhar de casa e por contra própria, fundar o EU 2.0 (www.eudoispontozero.com), escrever meu primeiro livro… E muita coisa ainda está por vir.

Eu tinha que te contar como eu me tornei Coach de mim mesmo. Como eu me descobri.
Como eu valorizo a família, as pessoas, os sonhos e a vida.

Eu tinha que te contar que vim de família humilde, que sou trabalhador e passei por fases difíceis.
Já tive depressão, já tive certezas que não eram minhas, já vivi sonhos que não eram meus.
Já errei muito, já aprendi muito e o melhor.. Já ensinei muito.

Quero, se você me permitir, deixar uma marca em você.
Quero ser um brisa de mudança.
Quero ser aquele pernilongo chato no meio da noite, mas ao invés de picar, ficar “incomodando” na sua cabeça para te tirar da zona de conforto e te mostrar quem você realmente é.
Quero te ajudar a despertar suas verdadeiras vontades.
Quero te ajudar a montar seu planejamento.
Quero te ensinar a ser produtivo e mais focado, tirando todos os seus projetos do papel.
Quero te ajudar a mudar sua mentalidade e ser muito mais forte do que é hoje.
Quero rir e comemorar com você quando atingir os resultados.

Quero ser pra você o que eu nasci para ser.

Posso não mudar o mundo, mas posso mudar as pessoas que irão mudar o mundo. – Matheus Peracine

Comente

45 Comentários

  • Que texto leve de se ler! Muito linda sua história, Matheus!

    Encontrei seu blog pois estou buscando inspiração para meu próximo artigo e me inspirei muito! Obrigada por compartilhar!

    • oi Carina! Obrigado pelo comentário 🙂 Eu deixei o blog um pouco parado mas essa semana estarei voltando com força total. Espero poder ajudar e inspirar sempre. Um beijo!

  • Olá Matheus, como pode uma história parecer que é sua em alguns aspectos?
    Achei interessante a parte do Neuro porque fiz o mesmo e ai não quis tomar o calmante receitado rsrs
    Parabéns por ter superado e mostrar que é possível quando lutamos pelo melhor em nós.
    Bjks

    Geórgia Aquino

    • Oi Geórgia!
      Nossa, passamos por situações parecidas mesmo.
      Não vou negar que foi difícil pois tive de fazer váaaaarios testes para achar a minha maneira de não cair na depressão novamente. Ela sempre estará bem perto, por isso preciso vigiar sempre. Espero que consiga se superar todos os dias 🙂
      Bjks!

  • Sua história aproxima as pessoas por ter aspectos comuns a grande maioria,mas suas declarações sobre gostar do assunto:comportamento humano,as leituras que você faz,nossa me identifiquei muito,é como se tivesse encontrado um parceiro de equipe,um sócio de “pensamos iguais”,kkkkkkkkkk.Parabéns,espero conversarmos mais vezes.Sucesso!

  • Mateus,soube de você através de um vídeo que vc postou e o achei no perfil de uma pessoa em Portugal.Lindo o vídeo!Linda a sua história,ainda tão novo!Imagina o que você ainda vai escrever nessa sua jornada aqui na terra.Parabens a sua avó e sua mãe pela educação que conseguiram que você tivesse.Quero muito continuar a saber de você!
    Que o universo conspire sempre a seu favor!
    Vou segui -lo!!!!!
    Um beijo
    Elisa

  • Olá Matheus,
    Assisti seu vídeo sobre correr atrás dos nossos sonhos por acaso??
    Acho que não rs,
    Providencial eu diria.
    Sua história é forte, interessante, inspiradora, Parabéns!
    Gostaria de poder falar sobre mim,
    Gostaria de ajuda, quero ser uma pessoa melhor, mesmo já tendo 60 anos…
    Tenho bagagem, tbm tenho história
    Algumas inacabadas…
    Talvez não saiba como escrever o fim.
    Afim??? rsrsrs
    Deus Te Abençoe.

    • Oi Eleni!
      Obrigado pelas palavras ????
      Estou respondendo tarde, pois já até conversamos e foi um imenso prazer te ouvir e poder te ajudar com o pouquinho que sei.
      Deus te abençoe sempre!

  • Q história fantástica !

    Parabéns, vc tem muita garra e teve um berço familiar maravilhoso, isso Eh primordial !

    Família
    Valores
    Força !

    Não Eh fácil , mas quero acreditar q ainda vou me encontrar …

    Obrigada por ser assim .

      • I am a 73 year old retired man who is living on Social security . I have been successful in my careers (3) due to hard work and always with a positive frame of mind. This last year I have been getting depressed and it’s not because of age ,that has never bothered me and I always stay active doing something regardless of the fact that I can’t do as much physically as I have in the past ,I found myself new interests one of which is learning the new techno-logy of the smartphone,which has made me feel like I am stupid at times and loosing my mind. I also started a new group on Facebook that is going to be a big success by the response it has already had and it hasn’t even got off the ground yet. I guess what I am asking am I doubting my capabilities in respect to my recent depression. Can you help me with this Question?

        • Hi Jay! How’re you doing?
          It has been very hard to yourself. You had a great life in business – as you write here – and after lose yourself, and got the horrible state of depression, you started to doubting your capabilities. But fuck that! You don’t need think to much, just DO IT! Remember everything you did in your entire life. When you failed, when you lost and when and much you grew up with all problems and challenges did you faced!

          Remeber all day, everyday who you are!
          Put an photo of the meaning of sucess close to you. On your table, your bed… Some visible place. Take a moment and look it. Drive all your emotions, all your feelings, all your thoughts to this moment.

          Bring to your mind: Why I want this? What I’ll win? What’s the true… The really meaning of do this new thing? This is relevant for me? Why? WHAT I REALLY WANT!?

          I know that you will find your strenght and keep yourself motivated.
          You are a great man, but you dont need prove anything to anyone! Just DO what you want for your right reasons, for your beliefs, your values, your life.

          Keep moving, unhurried. Just for pleasure to do what you want.

          (Sorry if my English was not to well.)

  • Nossa, incrível sua história! De muita luta, força, parabéns pela educação q vc recebeu e principalmente por vencer a depressão ( q hj eu sofro) . Engraçado q num dos piores dias da minha vida, me deparei com vc! Vou seguí-lo e tentar melhorar! Te admiro muito! Também queria ter o prazer de conversar com vc pessoalmente, como não é possível, te seguirei com ” carrapatinha”. Que Deus te abençoe! Um beijo enorme! Continue assim! Obrigada! ????

  • Oi Matheus,descobri vc atraves do face que postou um video de musica inspiradora de vida .Obrigada por compartilhar quero começar a te seguir.bjus

  • Matheus, descobri sua página curtindo posts de amigos, entrei na sua fan page e vi um pouco do que eu posso me tornar se eu tiver uma direção. Quero ser mais um dos seus “obrigados”. Tb tive depressão. Hj está amenizada, mas não controlada 100%.

  • Não consegui parar de ler até chegar ao final da história! Muito bacana! Parabéns pela jornada até agora e obrigado por nos proporcionar tantas reflexões sobre nossas atitudes e consequentemente, sobre a vida.

  • Parabéns por compartilhar sua história conosco linda história ou seja muito parecida com muitas outras mas vc está de parabéns em poder dividir esses momentos de luta e superação decderrotas e vitorias eu te considero um vencedor tu és um filho amado de Deus. OBRIGADO pelo trabalho que considero motivacional.

  • Gostei muita da simplicidade e da clareza com que você conta sua história, consegue contar suas dificuldades sem frama e de forma que nós percebemos a sua subida ao topo. Parabéns. Continue ouvindo…
    Obrigada pela inspiração!

Deixe um comentário